Fotos



R. Kamp em 1959.
(Foto integrante do livro " Leme, O Bairro Onde Moro" de R. Kamp)

Coreto na piscina da chácara do Leme, década de 20.
(Foto integrante do livro " Leme, O Bairro Onde Moro" de R. Kamp)
A família Burle Marx na chácara do Leme, década de 20.
(Foto integrante do livro " Leme, O Bairro Onde Moro" de R. Kamp)

(Foto integrante do livro "Rio de Janeiro, Passado & Presente 2" de R. Kamp)


Banho de mar no Leme em 1923.
(Foto integrante do livro " Leme, O Bairro Onde Moro" de R. Kamp)

Mapa de 1924.
(Foto integrante do livro " Leme, O Bairro Onde Moro" de R. Kamp)

Rua Gustavo Sampaio, esquina com a rua Anchieta.
(Foto integrante do livro "Rio de Janeiro, Passado & Presente 2" de R. Kamp)

(Foto integrante do livro "Rio de Janeiro, Passado & Presente 2" de R. Kamp)

(Foto integrante do livro "Rio de Janeiro, Passado & Presente 2" de R. Kamp)

(Foto integrante do livro "Rio de Janeiro, Passado & Presente 2" de R. Kamp)

(Foto integrante do livro "Rio de Janeiro, Passado & Presente 2" de R. Kamp)

Os irmãos de Burle Marx no Leme, década de 20.
(Foto integrante do livro " Burle Marx " de R. Kamp)


Aterro hidráulico, próximo a Copacabana.

Em 1972, a Avenida Atlântica já tinha canteiro central, e o desnível para a areia inspirava a banda do Leme a “cortezias”.
Década de 50.


1971


Leme e uma parte de Copacabana no final dos anos 30, possivelmente 1939 em pleno início de seu processo de verticalização.O Leme possuía apenas 8 prédios de apartamentos em sua orla e dois na parte interna.
Década de 30.
Vista do terraço do Copacabana Palace, 1923. Na década de 90, do século XIX, formou-se a Empresa de Construções Civis para lotear Copacabana. Essa empresa foi criada por Alexandre Wagner, seus genros Otto Simon e Theodoro Duvivier, junto com Paula Freitas e Torquato Tapajós. Em 1891, a empresa comprou as propriedades de Alexandre Wagner que iam das proximidades da ladeira do Barroso até o Leme, para abertura de ruas e construções de casas.Em 1931, encontravam-se construídos vários prédios de apartamentos, naquela região. Esses prédios recebiam a denominação de palacetes – atribuição equivalente à das casas isoladas, dos palacetes das classes abastadas, como forma de conferir-lhes o mesmo grau de distinção que estes e tornado-os bem aceitos. O Palacete Duvivier, de propriedade de Eduardo Duvivier; o Edifício Itaóca; o Palacete Veiga; o Palacete São Paulo, a Casa Rosada; o Palacete Oceânico são alguns destes prédios.
1924
1928
1911
Década de 20.A foto mostra uma partida de hóquei no Bar da Brahma, onde atualmente estão o Ed. Dra.Regina Feigl e o Leme Tênis Clube.
Praça almirante Júlio de Noronha, ainda com a Sociedade Pestalozi, antes da construção do Ed.Dra.Regina Feigl.(década de 60)
Rua Gustavo Sampaio - 1915.
Rua Gustavo Sampaio - 1903.
O ônibus da foto percorria a antiga linha 70 - Estrada de Ferro-Leme, nos anos 50. Tinha mecânica Aclo, inglesa, e foi apelidado pelo povo como "Camões". Pertencia à empresa Viação Copanorte.

A fotografia da família, às portas da igreja, é até hoje tradicional nas cerimônias ali realizadas.A igreja pertence à Ordem dos Dominicanos e tem magníficios vitrais nas laterais. Notável personalidade desta igreja foi o Frei Marcos de Mendes Farias que, desde a década de 50 até o início deste século, fez um grande trabalho social junto à população do Leme .
Casamento na Igreja Nossa Senhora do Rosário.O carro é um La Salle 1940, último ano em que esta marca foi fabricada pela GM. Apresentado em 1927, os automóveis LaSalle, uma sub-marca da Cadillac, supriam as necessidades de quem buscava um automóvel de alta qualidade por um preço acessível.
Inauguração do Bar da Brahma, 1906.
Bar da Brahma no Leme, 1908.
1930
02/04/1962: ônibus que fazia o trajeto Leme - Leblon.
1908
Posto de salvamento - 1910.
1915
1961/62
Década de 60.

1936, Edifício Manhattan, em final de construção.
1947

Reportagem do jornal "O Dia", de 28/11/81.
25 de Janeiro de 1932. Esquina da praça do Vigia com a Av. Atlântica em frente ao forte Duque de Caxias, embora essa calçada seja do bar da Brahma. Ao fundo vemos a Av. Atlântica ainda com a tipologia dada pela reforma de 1919, o poste com 3 globos no meio da rua, e um pequeno canteiro central separando a Av. da rua de contorno da praça, onde o bonde fazia a volta depois de percorrer o bairro do Leme vindo pela rua Gustavo Sampaio. A praça do Vigia é hoje a praça Almirante Júlio de Noronha.


Rei Momo e sambistas em uma edição da revista "Cruzeiro".



Final da década de 30.



1894


Casa na Av. Atlântica, número 750.

A internacionalmente fanosa calçada da Av. Atlântica,  destruída pela ressaca em 1921. 


1906


Em 1973, a praia do Leme sediou uma corrida com Buggies, e 44 pilotos se inscreveram na novidade.

15/05/1957. Lotação linha "Santa Alexandrina - Leme".




Elefante de circo no Leme - 1938.
Varanda do restaurante "OK", início da década de 40.
Década de 50.



1935
1962
Kung em 1987

Patinação no Bar da Brahma que havia no final do Leme, 1918.A patinação foi moda no inicio do século XX.







2 comentários:

  1. Coletânea de fotos antigas do Bairro do Leme.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso!!! adorei!! Sou uma apaixonada pelo Leme e pelo Rio Antigo...Tanto tempo vendo blogs de Rio Antigo, como não descobri o seu!!! Parabéns

    ResponderExcluir